Usamos Cookies para personalizar e melhorar a sua experiência em nosso site. Visite nossa Politica de Cookies para saber mais.

Ao clicar em "aceitar" você concorda com o uso que fazemos dos cookies.

CEOL
Conhecendo o ceratocone.
21 de Out, 2020

Conhecendo o ceratocone.

O ceratocone é uma doença da córnea, a parte transparente e que fica mais à frente do olho humano. Nesta doença, a córnea se torna mais curva e mais fina, geralmente na parte inferior, e passa a ter um aspecto de cone. A alteração do formato da córnea provoca um tipo de astigmatismo miópico irregular, que é responsável pela piora da visão do paciente.
Em geral a doença surge na adolescência, período em que o risco de progressão é maior.  Após os 35 anos de idade a tendência é de estabilização do quadro. O principal fator associado à piora da doença é o ato de coçar os olhos. Alguns estudos também sugerem que a doença se inicie a partir da fricção dos olhos. Por isso, todos os pacientes com queixas de “coceira” devem ser avaliados por um oftalmologista, que será capaz de avaliar a causa do sintoma e realizar um tratamento adequado.
O diagnóstico da doença é feito a partir de sinais observados no exame oftalmológico de rotina (esquiascopia, refratometria e biomicroscopia) e confirmado por exames complementares que avaliam a curvatura da córnea, como a videoceratoscopia computadorizada da córnea ou o pentacam.
O tratamento depende da gravidade da doença. Para os casos leves, apenas o uso de óculos é suficiente para permitir que o paciente enxergue bem. Quando os óculos já não permitem boa visão, opta-se pela adaptação de lentes de contato especiais, sob medida, chamadas lentes rígidas. Quando as lentes não são indicadas ou para os pacientes intolerantes ao uso de lentes, pode-se optar por realizar o implante cirúrgico de anéis intraestromais. Para os casos mais graves, quando a curvatura da córnea já está muito elevada e para os pacientes que já possuem cicatrizes na córnea devido à progressão da doença, indica-se a realização do transplante de córnea. Existe ainda uma outra opção cirúrgica, chamada de Crosslinking, que tem por objetivo estabilizar a doença e preservar a visão, indicada para pacientes que ainda têm boa visão mas que vêm apresentando progressão importante da doença
Os pacientes portadores de ceratocone devem ser acompanhados periodicamente pelo oftalmologista, que será capaz de avaliar cada caso individualmente e indicar a melhor opção terapêutica.



  Dra Isabella Funfas Bandeira Medina

Continue lendo

x
WhatsApp
Agende sua
consulta