Ceratocone



O QUE É CERATOCONE?
O ceratocone, ou córnea cônica é uma condição , na qual existe uma modificação na espessura e formato da córnea, geralmente bilateral (em ambas as córneas) e assimétrico.

A palavra ceratocone se deriva de duas palavras gregas : kerato – que significa córnea e konos – que significa cone.

Desta forna, como o próprio nome diz, no ceratocone a córnea apresenta protuberância (como um cone) e afinamento, causando embaçamento e distorção na visão.


Visão lateral de um olho com ceratocone

COMO É FEITO O DIAGNÓSTICO?

O diagnóstico é realizado através de exame oftalmológico e pode ser confirmado através da Topografia Corneana Computadorizada.

O exame de Topografia Corneana Computadorizada, como o próprio nome diz, faz uma análise topográfica da superfície da córnea que nos permite obter informações quantitativas e qualitativas a respeito da córnea do paciente, através de um gráfico numérico e de cores.

Com isto, além de auxiliar muito no diagnóstico, nos permite um acompanhamento da evolução, forma, posição e tamanho do cone.


Topografia Computadorizada de um olho com ceratocone

Alguns indícios clínicos como mudanças freqüentes da refração e a impossibilidade de conseguir boa acuidade visual com óculos são também dados que auxiliam na realização do diagnóstico e seguimento da evolução do ceratocone.

QUEM TEM CERATOCONE?

Existem algumas divergências nos dados que se referem as taxas de incidência desta doença na população, mas acredita-se de uma forma geral que o ceratocone acomete aproximadamente 5 em cada 10.000 pessoas.

Freqüentemente aparece entre os 15 e 40 anos, mas pode ocorrer também mais precocemente; em alguns casos a partir dos 10 ou 12 anos; De acordo com uma pesquisa realizada com pessoas que apresentam ceratocone, os portadores desta doença estão divididos da seguinte forma, quanto a incidência:

Faixa etária Percentual
67 a 76 anos 1,5 %
57 a 66 anos 3,0 %
47 a 56 anos 11,7%
37 a 46 anos 20.1%
27 a 36 anos 35.6%
17 a 27 anos 25.9 %
8 a 16 anos 2.1 %


Tipo de Cone Percentual
Oval 60 %
Redondo ou em bico 40 %
Globoso 1 %
Fonte: Nova Contact Lenses  


COMO O CERATOCONE EVOLUI?

Geralmente evolui por um período de 10 a 20 anos. A evolução da doença pode parar em qualquer fase, seja ela moderada ou severa. A forma de progressão é variável, assim como a severidade.

Com a evolução da doença, aumentam os valores da curvatura corneana assim como as distorções da córnea.

Apesar de normalmente ser bilateral a evolução da doença pode se dar de forma diferente de um olho em relação ao outro. É comum o primeiro olho afetado evoluir de forma mais severa.

QUAIS SÃO OS SINTOMAS?

Nas fases iniciais, a visão poderá ser afetada levemente, aparecendo sintomas de fotofobia, irritações , ofuscamento, embaçamento e/ou distorções moderadas.

No caso de evolução da doença e conseqüente maiores alterações da córnea, a visão vai se tornando mais embaçada e distorcida.

O QUE CAUSA O CERATOCONE?

Embora exista um grande número de pesquisas sobre a origem do ceratocone, uma resposta definitiva sobre o assunto ainda permanece obscura.

Alguns casos podem ter componente hereditário, porém a maioria dos casos parece não ter o seu aparecimento associado a laços de família. Sabe-se que um número considerável de pacientes com ceratocone tem um componente alérgico associado e que a chance de um parente consangüíneo vir a ter ceratocone é de 1 em 10.

TRATAMENTOS E CUIDADOS

O tratamento no ceratocone tem por objetivo a obtenção de boa acuidade visual para o paciente.

O tipo de tratamento a ser adotado vai depender o estágio de evolução em que o ceratocone se encontra.

Pode-se adotar óculos, lentes de contato ou cirurgia . Isto vai depender da severidade da condição do ceratocone.

Os óculos são utilizados com sucesso principalmente na fase inicial do ceratocone, onde através do óculos pode-se obter uma visão satisfatória.

Nesta mesma fase o paciente pode ainda optar com lentes de contato hidrofílicas (gelatinosas) ou rígidas.

Porém , com o avanço do problema, os óculos e as lentes de contato hidrofílicas passam a não proporcionar uma visão satisfatória.

Neste ponto as lentes rígidas poderão propiciar uma acuidade visual mais elevada para o paciente.

É preciso lembrar, que estatisticamente apenas aproximadamente 10% dos casos evoluem para transplante de córnea, sendo que na grande maioria dos casos consegue-se controlar o problema através principalmente da adoção de lentes de contato rígidas.

É muito comum o portador de ceratocone ter o hábito de coçar muito os olhos. Este comportamento pode contribuir para o processo da doença, assim sendo, os pacientes são orientados a não coçarem os olhos.

Não existem no mercado, medicamentos conhecidos que possam evitar o progresso da doença.

Um dos maiores motivos de indicação de transplante de córnea é quando não se pode mais obter visão satisfatória com os meios acima descritos.

AS LENTES DE CONTATO RÍGIDAS NO CERATOCONE

Boa parte dos pacientes portadores de ceratocone, a alternativa, para alcançar boa visão, é o uso de lentes de contato rígida.


Olho com lente de contato rígida

O usuário destas lentes , deverá receber um acompanhamento rigoroso, visto que o ajuste das lentes de contato no ceratocone pode não ser tão fácil, podendo, no decorrer do tempo acontecer mudanças na curvatura corneana ou outras alterações na superfície da córnea que necessite levar a realização de ajustes na lente.

Assim sendo, o acompanhamento freqüente do médico oftalmologista é fundamental.

DIFICULDADES NA ADAPTAÇÃO DA LENTE DE CONTATO RÍGIDA NO CERATOCONE:

Os materiais assim como os desenhos das lentes de contato rígidas vem gradativamente evoluindo, buscando proporcionar melhor adaptação e conforto aos pacientes.

Apesar disto, alguns pacientes não possuem boa tolerância à lente rígida, o que pode dificultar a adaptação a estas lentes de contato .

Nestes casos, o médico irá procurar buscar mecanismos para minimizar o impacto do incômodo da lente rígida no olho do paciente, tentando viabilizar o uso da lente, mesmo que seja por curtos períodos determinados pelo médico e selecionados pelo paciente de acordo com os momentos em que este tenha maior necessidade de boa acuidade visual.

Em alguns casos a intolerância a lente pode ser tão grande que não permita ao paciente o uso destas lentes.


Colocando lente de contato rígida no olho

VIVENDO COM CERATOCONE



Muitas vezes a notícia de que é portador de ceratocone causa um impacto psicológico bastante grande no paciente.

O esclarecimento, o conhecimento do que realmente é o ceratocone é fundamental para a tranqüilidade do paciente.

É muito comum, quando alguém do círculo de amizades do paciente sabe ser ele portador de ceratocone, apresentar a este paciente informações não reais a respeito da doença, como por exemplo a necessidade incondicional de transplante de córnea, a possibilidade de uma cegueira repentina, etc.

A informação, a orientação é um grande caminho para levar a este paciente tranqüilidade para encarar estas situações com serenidade, mostrando-se conhecedor do problema e de suas reais estatísticas.

Desta forma, o paciente deve procurar manter-se em contato com o seu oftalmologista dirimindo com ele as possíveis dúvidas que surgirão, seguindo as orientações por ele prescritas.

O paciente deve procurar criar seus mecanismos para minimizar e conviver bem com o problema, desta forma alguns conselhos podem ser úteis:

• Procure ter lentes de reserva e carregá-las consigo , principalmente no caso de viagem;

• Se tiver fotofobia(incômodo provocado por luminosidade) providencie óculos de sol de boa qualidade e procure mantê-los sempre à mão;

• Evitar exagerar no uso de lentes de contato, dê o devido descanso ao seu olho. Procure respeitar a sensibilidade de seu olho, que é diferente de uma pessoa para outra. Programe-se para isto;

• Lembre-se o seu médico não tem o controle sobre o que acontece e do que você faz no seu dia a dia. Então é seu dever cuidar adequadamente de seu olho, e programar as visitas ao seu médico de acordo com a orientação deste;

• Use óculos de proteção no caso de realizar atividades que possam levar a impactos no olho;

• Em relação ao ponto de vista emocional e psicológico é importante o paciente manter uma atitude positiva e de serenidade em relação ao problema, adaptando-se a este fato em sua vida;

• Ao observar mudanças visuais ou aparecimento de sintomas oculares como irritações, coceira excessiva, escurecimentos, intolerância à lente, etc, procure sempre o seu médico oftalmologista.

PROGNÓSTICOS

Muitas pesquisas estão sendo realizadas tentando buscar as causas e o funcionamento do ceratocone.

O objetivo é conhecer profundamente a origem do problema e desenvolver alternativas terapêuticas cada vez mais avançadas.

LINKS

CLAO- Contact Lens Association of Ophthalmogists (www.clao.org)
Saúde e Vida (www.saudevidaonline.com.br)
Natiomal Keratoconus Foundation (www.nkcf.org)
KC Vision (www.kcvision.org)


Rua Professor João Cândido, 1465 - Centro - Londrina - Pr - CEP 86010-001
Fone/Fax: (43) 3375 5300
Clickweb Agência Digital